DicasPráticas

Fornecer boas orientações, dar boas sugestões e dicas práticas sobre assuntos que dominamos é sempre bem vindo por todos. Então vamos lá!

  Dicas STAF de como se sobressair num ensaio fotográfico

Queixo – para frente e um pouco para baixo, isso alonga o pescoço e dá destaque aos

olhos.


Cabeça - Tente sempre posicionar a cabeça reta alinhada com o corpo, nada de virar a cabeça

como se fosse deitar sobre o ombro.


Pernas - Quando em pé coloque seu peso apoiado na perna de trás, atenção para a posição dos pés

e pernas, evite posicionar os pés paralelos isso causa um efeito estranho nas pernas diante da

câmera (fica horrível, chamado perna de jogador de futebol).


Expressão - Sem caras e bocas. Nada de biquinhos. Sem expressões cafonas ou bregas. Nada disso

funciona num ensaio profissional de qualidade.


Mãos - Quando colocar as mãos na cintura ou nas pernas seja delicada, mantenham os dedos

juntos, a mão leve, poses suaves ficam mais agradáveis de olhar. Mãos sempre suaves, mãos

de bailarina.


Roupas - As roupas e cabelo ajudam a montagem das fotos. Roupas de ir para a balada com as

amigas nem sempre são as melhores roupas para apresentar um trabalho profissional. Deixe a

produtora escolher seus looks (se for esse o seu pacote) ou prefira roupas básicas, vestidos

pretos ou sem muita cor, jeans, bodys, coisas sensuais e que evidenciem as curvas femininas,

etc., tudo sem muita estampa.


Postura - Essa dica não vale apenas para as fotos, valem também para sua saúde. Arquear

o corpo, barriga presa e enxuta, ombros para trás. Sempre.


Pose como uma profissional: se você está posando para uma foto de corpo inteiro, tente a clássica pose das celebridades girando levemente o corpo deixando um ombro mais próximo da câmera e um pé à frente do outro. Isso vai fazer você parecer mais magra do que se estivesse totalmente de frente. Tente manter as costas retas, com os ombros para trás e contraia o abdômen. Dê uma pesquisada nas revistas de modas, atente para as poses, expressões e atitude

das modelos tops (+ importante) e treine algumas vezes diante do espelho. Ter atitude é o

que importa, até mais do que a beleza. Vergonha diante da câmera não funciona, posar para

fotos é como atuar, a modelo interpreta um personagem diante da câmera.


Olhe para a direita: um estudo realizado pela Universidade Wake Forest, nos Estados Unidos, revelou que o lado esquerdo da face é mais atraente do que o direito, aparentemente devido ao fato de ser a área que demonstra mais emoção. Para uma bela foto, olhe um pouco para a direita deixando à mostra seu 'melhor' lado. Isso ainda é um bom truque para afinar o rosto de quem possui bochechas mais avantajadas.


Escolha a sua maquiagem com cuidado: Se você ja vier maquiada ao estúdio, para garantir uma boa aparência, evite produtos com base mineral e com grandes quantidades de dióxido de titânio, pois o pigmento vai refletir a luz. Embora esse tipo de base seja bom para que seu rosto fique mais iluminado no cotidiano, não tem um efeito bom perante a câmera, pois o flash reflete em seu rosto, deixando-a branca como um fantasma. Um pouco de pó também ajuda a diminuir o brilho do rosto.


Destaque suas melhores características: para melhorar suas fotos, garanta que está dando destaque aos aspectos que mais aprecia na sua aparência. Experimente ressaltar os olhos com delineador ou cílios postiços ou chame atenção à sua boca com um batom escuro. Escolher um bom look que ressalte o melhor de suas formas também é uma boa pedida.


Desvie o olhar da lente: ninguém quer que olhos arregalados ou semifechados arruínem a foto. Então, evite isso focando o olhar um pouco acima ou abaixo da lente da câmera. Olhar diretamente para ela faz a luz bater em sua retina, gerando olhos vermelhos e aumentando o risco de você piscar. Detalhe importante, os olhos seguem a direção do nariz para que tenhamos olhos sempre no centro e não com espaços brancos vazios. 


Evite os olhos vermelhos: os olhos vermelhos são causados pela reflexão da luz no fundo do olho, por isso, quem tem pupilas grandes está mais propenso a sofrer com isso. Se apenas desviar o olhar não estiver funcionando, outra dica é tirar fotos em ambientes bem iluminados ou mirar uma luz por um tempo antes do clique, assim sua pupila já estará menor na hora da foto.


Elimine a papada: não há nada pior do que encarar uma imagem de si mesma ostentando um queixo duplo. Para evitar a indesejável papada, certifique-se de que a câmera está um pouco acima do nível dos olhos. Além disso, tente inclinar a cabeça levemente para cima e projete seu maxilar um pouco para fora. Pratique antes na frente do espelho para acertar um ponto que pareça natural.


Evite luz direta: nem sempre é possível ter um fotógrafo profissional para controlar a iluminação na hora de tirar uma foto. No entanto, é importante ter em mente que a luz direta pode gerar sombras em seu rosto e acentuar olheiras. Quando possível opte por uma iluminação mais suave e quando estiver ao ar livre prefira a sombra.


Domine o sorriso perfeito: na hora do clique, a boca normalmente é uma grande preocupação. Porém, segundo a modelo Tyra Banks, é tudo uma questão de sorrir com os olhos. Ao invés de forçar um sorriso, pense em algo que lhe faz feliz para conseguir sorrir de forma mais natural. Você também pode aperfeiçoar seu sorriso para dar ainda mais destaque ao seu rosto. Um sorriso radiante funciona bem para quem tem belos dentes, enquanto um meio sorriso mais relaxado faz os olhos parecerem maiores e os lábios finos ficam mais grossos.


Pratique + sua pose: se você realmente quiser uma foto perfeita, vai precisar de prática. Experimente diferentes caras, ângulos, poses, sorrisos e expressões faciais na frente do espelho ou da própria câmera para descobrir o que funciona melhor para você. Depois de descobrir o tipo de pose que você mais gosta, será mais fácil acertar na hora de tirar uma foto.

  As melhores dicas para quem quer seguir a carreira de modelo

Trilhar uma carreira que alie fama, reconhecimento e retorno financeiro é um dos maiores desejos de quem aspira ser modelo. Contudo, é comum surgirem dúvidas quanto ao universo da moda e as diversas possibilidades de atuação dentro dele, em especial a do modelo fotográfico. E é verdade que existe muita picaretas por aí, querendo se aproveitar desse sonhos de muitas garotas. Então cautela sempre!

As diferenças e vantagens dessa vertente em relação à carreira de modelo fashion, por onde começar a carreira de modelo fotográfico, onde encontrar as melhores agências de modelo, e quais dicas seguir para crescer na profissão de modelo fotográfico, são alguns exemplos das diversas dúvidas que surgem na carreira de uma modelo iniciante. Por esse motivo criamos esse post, para tirar todas as suas dúvidas sobre a carreira de modelo e te deixar por dentro de tudo sobre o assunto. Acompanhe!


Quais as vantagens e diferenças de ser modelo fotográfico?

Ser modelo fotográfico é uma opção dentro da moda que oferece uma série de vantagens e possibilidades para você explorar. A começar pela oportunidade de atuar não apenas em um segmento, mas sim em vários.

Afinal, quem segue essa carreira pode participar de projetos e conseguir trabalhos publicitários em diferentes meios, como a mídia impressa (revistas e catálogos), a mídia online (sites de marcas e anúncios em redes sociais) e a mídia audiovisual (campanhas e VTs). Por conta dessa versatilidade, o mercado se torna a cada dia mais crescente e com ótima rentabilidade no Brasil.

Além disso, quem segue essa área não precisa lidar com os mesmos padrões recomendados internacionalmente para quem é ou deseja ser modelo fashion. Um exemplo são os requisitos quanto à altura, ao peso e às medidas do quadril — o que permite com que haja uma maior variedade de perfis de modelos.


Início de carreira: preconceitos e dificuldades

Infelizmente, quando se fala em modelo, as pessoas tem três ideias: glamour, profissão sem futuro e prostituição.

Tenho que contar que não é nada assim. Nós, modelos, batalhamos muito pelas nossas conquistas do dia a dia, nada vem de mão beijada, como qualquer outra profissão.

Devemos lembrar que precisamos de profissionalismo para crescer na carreira. A modelo também estuda. Nós estudamos idiomas, passarela, poses e, principalmente, autoconhecimento. Você deve estar preparada como qualquer outra profissão.

A primeira grande dificuldade, de muitos modelos, principalmente das mais novinhas, 14/16 anos, é viver longe da família. Ficar longe do apoio familiar e conhecer a famosa SAUDADE. Temos também a pressão psicológica que algumas agências acabam fazendo sobre nós.

O pior tipo entre as pressões é para manter as medidas e ficar magra, onde muitas meninas acabam adoecendo sem perceber. Lá fora, aprendemos a lidar com pessoas de todas as nacionalidades e culturas bem distintas das nossas. Muitas vezes, até vivendo/morando com pessoas muito diferentes dos nossos princípios.

Nessas situações você aprende a lidar com pessoas e reconhecer as que realmente você quer perto de ti. Lembrando de sempre tratar todos com educação, mas sempre atenta para saber distinguir as que querem te ajudar e as que querem te “fazer mal”.


Desafios x oportunidades | Dicas para modelo iniciante

A parte da comunicação também acaba sendo uma dificuldade no começo da carreira, pois muitas meninas tem a vergonha de tentar falar o inglês. Aí entra a timidez, que é uma barreira bem grande e que pode empacar sua carreira. Uma outra dificuldade, que parece ser boba, mas é muito relevante, é a alimentação.

Quando você sai do país, tudo é novidade. Você quer experimentar tudo e, às vezes, não sabe cozinhar. Assim começam as compras nos FAST FOODS ou comidas não tão saudáveis. Consequentemente, você tem um aumento de peso e medidas, fazendo com que se inicie a grande pressão das agências para manter o corpo.

Mas, no geral, é uma profissão muito linda e cheia de oportunidades incríveis! Como, por exemplo, viajar o mundo trabalhando, ter cada dia um job bem diferente, um do outro, e conhecer pessoas que você levará para vida toda, de tão especiais que são!


Pilares fundamentais para que um modelo iniciante

A modelo internacional, Nicole Ribeiro, compartilha alguns pilares fundamentais para que um modelo ingresse, de forma profissional, na carreira, minimizando os riscos de cair em uma grande cilada.

“Um dos alertas que eu sempre faço, é em questão da AGÊNCIA. Preste atenção nas agências que apenas querem fazer dinheiro VENDENDO BOOK, sem te apresentar um plano de carreira. Além disso, NÃO SE DEIXE ILUDIR PELA FRASE: VOCÊ É MARAVILHOSA e vai ganhar muito lá fora. Mantenha os pés no chão”, alerta.


Cuidados indispensáveis no dia a dia de um modelo em início de carreira:

Ler o contrato. Muitas agências estão fazendo contratos abusivos, com multas de R$ 20.000,00 caso o modelo faça desligamento antes de acabar a data de vigência.

Sempre converse, com sua família e/ou modelos mais experientes, a respeito da profissão.

Pesquise muito sobre agências.

Primeira vez na agência, pergunte tudo: Quem é o fotógrafo que faz o book? Qual a modelo mais famosa da agência? Quais os maiores clientes?

Reconheça seu perfil e saiba seus limites.


7 Dicas para a modelo iniciante


Autoestima: Acredite em você, no seu potencial! Olhe no espelho e veja o quanto você é única.

(EU SAIO GRITANDO PELA CASA QUE SOU MARAVILHOSA, risos)

Alimentação: Procure encontrar o balance. Comer o que gosta também faz bem. Ah, lembre-se de adicionar exercícios no dia a dia.

Autoconhecimento: A melhor dica para isso é criar o hábito de meditação, ler e tirar um tempo para ti.

Casting: Sempre dê o seu melhor, faça tudo por você !

Poses e Passarela: Procure entender seu melhor ângulo e como você se sente confortável para posar. Na Passarela: respira fundo, coluna reta e vai (risos).

Book: Procure fotógrafos de qualidade, verdadeiros e não esses de bloqueirinhas, visite o site do fotografo, peça opiniões ao fotógrafo e você saberá, se for esperta, quem é aquele que quer seu $ e o verdadeiro profissional - aí dá para decidir com quem você fará seu book. Lembrando que , quase sempre o mais barato custará muito caro a você.

Agenciamento: é o mais importante da sua carreira. Procure e estude bem cada agência!


  10 Dicas para manter a qualidade da sua imagem 

Quer melhorar sua fotografia? Evite 10 erros comuns que podem arruinar a qualidade da sua imagem.


Quantas vezes você já capturou uma imagem que lhe parecia fantástica na tela do computador, para ver que depois de impressa, essa imagem não apresentou uma qualidade satisfatória. Só então você percebe que algum ajuste na câmera deu errado. Na verdade visualizar uma foto na tela iluminada do computador é uma coisa, vê-la impressa é outra. Os erros na impressão são facilmente denunciados.

Infelizmente, a única maneira de entender esses erros comuns na fotografia, é ter uma imagem arruinada por eles. Depois de estragar uma imagem importante, você vai querer gravar esses itens para não cometer o mesmo erro novamente.

Vejamos alguns erros comuns que muitos fotógrafos cometem:


1 - Deixar ligada (em on) a função “Estabilização de Imagem” da sua lente ao utilizar um tripé


Todo mundo aprende essa dica muito tarde. Estabilizadores de imagem (que muitas lentes possuem, principalmente as zooms maiores) costumam auxiliar a suas imagens a saírem mais nítidas, reduzindo as vibrações da câmara na imagem captada. No entanto, quando a câmera está em um tripé e perfeitamente imóvel, o motor de estabilização dessas lentes podem causar uma oscilação, fazendo o inverso do papel de estabilizar! Eu sei que alguns fotógrafos vão balançar a cabeça sem entender isso, mas agora você já sabe o porque de suas imagens no tripé não ficarem perfeitamente nítidas, esse detalhe geralmente é a razão. Jamais use “Image Stabilization” quando a câmera estiver num tripé, apesar de um vento forte poder balançar seu tripé ou sua câmera durante a foto (você pode adicionar algum peso nas pernas do seu tripé para evitar isso) a grande vilã é a função Estabilizadora de Imagem ligada. Ela não deve ser usada quando a câmera estiver imóvel num tripé. Ponto final.


2 - Não usar a velocidade ideal


A menos que você esteja usando um tripé, para conseguir uma foto completamente nítida a velocidade do obturador deve ser equivalente ao comprimento focal da sua lente. Por exemplo, se você está clicando com uma 50mm a velocidade do obturador deve ser de no mínimo 1/50 de um segundo (e é sempre bom adicionar uma margem mais rápida de tempo para estar sempre seguro). Atenção, muitos fotógrafos não se dão conta desse detalhe, se você estiver com uma câmera com sensor cropado (Canon tem três tamanhos de sensores: full frame, 1.3xe 1.6x. Outros fabricantes estão no mesmo intervalo, com exceção notável para Olympus que tem um crop de 2x. Já a Nikon tem dois tamanhos diferentes de sensores: full frame (FX) e o cropado 1.5x (DX). ) lembre-se que uma lente de 50mm pode ter o comprimento focal equivalente a uma visão de 80 milímetros ou 100 milímetros dependendo do crop do sensor e o fotógrafo deve ajustar a velocidade mínima do obturador para cada caso.

Cada tipo de movimento requer uma velocidade adequada para congelar perfeitamente a imagem. A velocidade do obturador em 1/320 de um segundo é uma velocidade base para congelar movimentos. Para objetos em movimento mais rápido, tais como carros ou esportes, é preciso usar uma velocidade ainda mais rápida do obturador. Tenha cuidado especial ao fotografar no modo Prioridade de Abertura ou nas definições de auto, porque a câmera irá definir a velocidade do obturador para uma configuração automática que geralmente apresentará um borrão em sua imagem sem que você perceba isso no display. Por esta razão, quando congelar a imagem for extremamente importante, use o modo Prioridade de Obturador.


3. Não focar sobre a parte mais importante da imagem 


Fazer um foco seletivo é imprescindíve, especialmente quando se fotografa com uma grande abertura

Se você está fotografando com uma pequena abertura, como f/8 e acima por exemplo, você terá uma maior margem de foco, mas quando se fotografa usando grandes aberturas (como f/2.8 e maiores), você precisa ter a certeza de que o elemento mais importante da imagem será aquele que ficará o mais nítido. Se você errar no foco, pode até não ser sempre visível no monitor, mas esse erro vai aparecer e saltar aos olhos quando você fizer uma impressão.

Isto é especialmente importante ao fotografar pessoas. Observamos muitas imagens onde o foco está no cabelo, no nariz, etc, quando a nitidez principal deveria ser sobre os olhos. Muitas vezes o foco no lugar errado significa arruinar a imagem.

Tenha um cuidado especial quando o elemento que você estiver focando for pequeno, porque vai ser muito fácil para a câmera focar na área bem atrás dele. Este é um erro que é freqüentemente feito por fotógrafos amadores e iniciantes. Nessas situações complicadas você precisa prestar atenção se o foco está no local certo. Sempre que tiver focando pequenos elementos ou áreas complicadas, prefira dar um zoom no display e observar o foco no live view.


4. Não se mova quando for apertar o botão


Parece besteira mas muitos fotógrafos se mexem bastante na hora de clicar. Erros mais comuns, cotovelo alto, continuar falando na hora do clique e fazer qualquer movimento. Pare o movimento cada vez que você for fotografar, mesmo que por um segundo! Mantenha suas mãos firmes, seus cotovelos fechados! Respeite todas as imagens que você for fazer, o suficiente para parar e pensar sobre elas por mais de um segundo.


5. Excesso de nitidez

Hoje em dia é tão fácil dar uma maior nitidez as suas fotos, mas temos observado imagens desastrosas nesse conceito. Uma imagem carregada demais de nitidez fica artificial e “fingida”. Alguns erram no foco e tentam dar no software de edição uma maior nitidez ao local de foco que ficou prejudicado. Isso é rapidamente percebido numa análise seletiva da imagem. Tenha cuidado com o excesso de nitidez nas suas fotos. Eu vejo isso acontecer demais. Particularmente em câmeras de alta resolução, usando as configurações corretas, suas imagens, muitas vezes, só precisam de uma quantidade mínima de nitidez. Se você exagerar a nitidez ela vai ter realmente o efeito inverso, tornando a sua imagem falsa ou como se ela fosse uma ampliação feita de um tamanho menor. E é isso que temos visto na internet, principalmente em fotos de esporte e natureza. Chega a ser caricato. E não é isso que você quer é?


6. Excesso de filtros na imagem

Já dizia um grande artista, “menos é mais”. O “excesso de filtragem” é um termo amplo que utilizamos para problemas técnicos e de composição que o fotógrafo introduz pós captura em sua imagem. Basicamente, ele significa que você exagerou com algum tipo de edição ou processamento. Os maiores candidatos ao excesso de filtragem são o excesso de nitidez como mencionado acima, combinações excessivas de aplicativos de contraste e remoção de ruídos, cores exageradas e irreais, o sombreamento seletivo para tentar resolver problemas de compressão (céus são os mais comuns em provocar manchas na imagem) e o recurso HDR.

No caso do HDR e outros filtros manipuladores das altas e baixas luzes e do contraste da imagem, os pixels rasterizados por esses efeitos sofrem uma degradação, e muitas dessas manipulações de raster ficam artificiais demais, provocando um “halo” branco na borda dos objetos, denunciando uma edição exagerada e mal feita. E muita gente não se dá conta disso, achando que podem fazer uso ilimitado desses efeitos sem comprometer a qualidade da imagem. Evite particularmente plugins e filtros que exageram demais a imagem, que simulam reflexos, raios de sol, arco-íris, ou qualquer tipo de filtro que comprometa as cores reais, o resultado é quase sempre uma imagem cafona e apelativa se não for feita com critério.


7. Redimensionar suas imagens depois de aplicar nitidez nelas


Outro erro bastante comum cansativamente repetido por fotógrafos. Nitidez deve ser o último passo depois de ter dimensionado a imagem para o tamanho da impressão final. Quando você aplica nitidez na sua imagem, o seu software de edição tende a aproximar os pixels, definindo as bordas. Se você aplicar nitidez a sua imagem e, em seguida, redimensioná-la, esse efeito vai afetar negativamente a qualidade da sua foto. Guarde uma copia da imagem sem nitidez e aplique nitidez individualmente a cada tamanho que você redimensionar a imagem.


8. Não utilizar o espaço de cor correto: ProPhoto RGB> Adobe RGB> sRGB


Você deve sempre manter sua foto digital no maior espaço de cores possível. Embora para as impressoras caseiras não seja ainda possível imprimir todas as cores que o espaço ProPhoto RGB pode lhe dar, e, muitos serviços de impressão irá preferir que você envie seus arquivos em Adobe RGB, ao processar as minhas imagens RAW para arquivos TIFF (sem compressão como o JPEGs), eu sempre converto-as para o espaço de cores ProPhoto porque é o maior espaço de cores executável, isso significa um arquivo com maior informação e qualidade. Por que não salvar seus arquivos com a maior quantidade de informação de cor possível? Muitas câmeras permitem que você pré-defina isso nas configurações. Se um dia você for fazer uma impressão fine art da sua imagem, será esse o espaço de cor indicado.

No entanto saiba que o sRGB é o melhor espaço de cor para mostrar suas imagens na web. Sim, ao imprimir as suas imagens, é melhor mantê-las em ProPhoto ou Adobe RGB, pois as gradações de cores serão melhor respeitadas, mas quando a imagem for utilizada para visualização pela web, o melhor será usar sRGB mesmo.

Ao converter uma imagem para um espaço de cor diferente, certifique-se sempre de fazê-lo como uma cópia da imagem original. Se você converter uma imagem ProPhoto para sRGB e salvá-lo, você não será capaz de recuperar essa informação de cor depois, se você, em seguida, quiser convertê-lo de volta para ProPhoto.


9. Esquecer de usar a compensação de exposição (+ / -)

Ao fotografar em situações excessivamente claras ou escuras em prioridade de abertura ou modo de prioridade do obturador, a luz vai enganar o sensor da câmera. Por exemplo, se você fotografar em um beco escuro, o sensor da câmera vai tentar iluminar excessivamente a cena, enquanto se você capturar uma imagem com um monte de céu claro ou areia branca, a câmera vai tentar escurecer demais a cena.

Este é o lugar onde a sua compensação de exposição lhe dará um maior controle sobre a imagem. É uma ferramenta vital para qualquer fotógrafo, especialmente em situações difíceis de iluminação, onde ele deve fazer a fotometria numa área neutra, de cor cinza e usar a compensação para corrigir os sobre-expostos ou sub-expostos da imagem.


10. Esquecer de fazer uma pré-definição nos ajustes da câmera antes de qualquer trabalho


Parece brincadeira, mas a quantidade de fotógrafos que clicam com ajustes errados é incrível. Dê sempre uma olhada nas configurações da sua câmera no início de uma sessão e veja se não esqueceu algum ajuste ligado que agora não lhe interessa mais. Algumas das definições mais comuns para se esquecer de repor são: aquele ISO alto da noite anterior, a sua compensação de exposição, a configuração do balanço de branco e o tipo de foco escolhido.

Considerações finais

Com imagens digitais, você sempre poderá corrigir muitos problemas mais tarde na pós-produção. No entanto, continua sendo melhor obter a imagem perfeita na câmera, tomando todos os cuidados para isso. O processamento é necessário, de algum modo para cada imagem digital, mas quanto mais extremo ele for, mais você danificará a qualidade de suas imagens. E uma forma de saber se você anda fazendo isso, é imprimindo as suas imagens.

É difícil notar os efeitos de muitos destes erros ao visualizar as imagens na web ou em um monitor, mas quando você aumenta o zoom perto dos detalhes ou preferencialmente quando faz uma impressão, especialmente uma impressão num tamanho decente, esses efeitos exagerados ficam bastante perceptíveis, as vezes, arruinando a imagem.